Tomoko Sauvage

Há mais de dez anos que Tomoko Sauvage investiga as propriedades sonoras e visuais da água em diferentes estados, assim como as propriedades da cerâmica, combinada com eletrónica. Taças de porcelana de vários tamanhos, cheias de água e amplificadas por hidrofones (microfones subaquáticos): “waterbowls” é uma espécie de sintetizador natural que gera timbre fluido usando ondas, gotas e bolhas de água. Estes recipientes ressoam e produzem também feedback subaquático – um fenómeno acústico que requer afinação precisa dependendo da quantidade de água, um controlo subtil do volume e interação com o espaço acústico. Com materiais primordiais e gestos joviais, Tomoko Sauvage procura um frágil equilíbrio entre a aleatoriedade e a disciplina, o caos e a ordem. Tendo nascido em Yokohama, no Japão, Sauvage mudou-se para Paris em 2003, depois de estudar piano jazz em Nova Iorque. Ao ouvir Alice Coltrane e Terry Riley, interessou-se por música indiana e estudou improvisação de música do Hindustão. Em 2006, Tomoko Sauvage assistiu a um concerto de Aanayampatti Ganesan, um virtuoso do Jalatharangam – o instrumento musical carnático tradicional com taças de porcelana cheias de água. Fascinada com a simplicidade do dispositivo e com a sua sonoridade, a artista começou de imediato a bater com pauzinhos em taças de porcelana na sua cozinha. Em breve, o seu desejo de mergulhar na água gerou a ideia de utilizar um microfone subaquático, levando ao nascimento deste instrumento eletro-aquático. O trabalho de Tomoko Sauvage é apresentado regularmente na Europa, Ásia e América na forma de performances, instalações e composições musicais. A artista tem estado profundamente ligada à cena musical/artística DIY e é também crescente o seu interesse por projetos educativos.